Reflexões Laudelianas: "Por que você fez isso? A beleza da mulher tá no cabelo."

Por Vanessa Aguiar
"- Por que você fez isso? A beleza da mulher tá no cabelo."
Felizmente, a frase não me perturbou negativamente, mas me concedeu a seguinte reflexão: A beleza da mulher está do lado de dentro da cabeça; minha inteligência, minhas qualidades, as características que me fazem bela não estão nos meus fios.
Eu, Vanessa Aguiar, definitivamente, não sou o meu cabelo; e sinceramente, nunca soube de alguém que fez uma escova inteligente e saiu do salão com o QI mais alto, logo, a beleza da mulher, para mim, não tem nenhuma ligação com cosméticos ou penteados.
Estudando sobre a História da Arte e a Iniciação a Estética, pude avaliar que existem várias categorias de beleza, e as artes cômicas, terríveis, subjetivas, são algumas delas. Por isso, não devemos desconsiderar algo como belo, só porque não provocou sentimentos em você, outra pessoa pode apreciar a mesma obra e obter prazer.
Enfim, cabelo curto, comprido, descolorido, cores fantasia, careca, sidecut, dread, estilo Ronaldinho, que seja... Estereótipo nunca vai definir a beleza de alguém. Precisamos parar de tentar nos enquadrar e desconstruir os padrões impostos pela ditadura da beleza, precisamos nos amar como somos - do lado de dentro da cabeça – amar nossas atitudes, nossa personalidade.
O que estou curtindo nesse novo visual são as crianças me encarando na rua, cutucando suas mães, comentando, pelo simples fato de não serem ensinadas por suas famílias (de acordo com a comissão ou não) que existem pessoas diferentes do meio social delas, que as mulheres têm o DIREITO DE ESCOLHER o que farão com os seus corpos. Eu passo de vestido, sapatilha, bolsa, maquiagem, brincos grandes... E adivinhem? Quase SEM CABELO! Dá pra imaginar a reação, né?!
Para não escrever sem parar, concluo com três palavras: Continuarei na luta.

TRÊS INFORMAÇÕES (DES)NECESSÁRIAS
Primeira observação importante: Ter um cabelo colorido não significa que a menina se tornou uma profissional do sexo, então parem de chamar pessoas que você não conhece para participar dos seus menages e afins. E não insista em transar com o meu cabelo, pare de fantasiar, e mandar mensagens do tipo: Ah, mas como assim você não quer? Com esse cabelo aí tá me dizendo que não topa? APENAS PARE.
Segunda observação importante: A única coisa que define a identidade sexual de uma pessoa é se ela curte beijar meninas, rapazes, os dois, etc e tal. FIM.
Terceira observação importante: Continuo calçando 35, e se preciso for, derrubarei 365 forninhos por ano. Aquele abraço! 






Vanessa Aguiar, estudante de jornalismo. Compõe o CFLCM

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relacionamento abusivo

É pela vida das mulheres: A Luta pela autonomia feminina e legalização do aborto.

Coletivo Feminista Laudelina Campos de Melo